SoluçõesCasesAcademiaBlogTalentosInstitucional
Financeiro

Home equity é tendência de crédito no mercado brasileiro

Nos últimos tempos, o home equity se tornou uma alternativa de empréstimo cada vez mais presente e discutida no mercado brasileiro.

Isso porque, em meio às dificuldades do cenário econômico atual, as instituições financeiras começaram a estimular formas de concessão de crédito mais flexíveis a seus clientes.

Neste caso, trata-se de uma modalidade de crédito em que, ao invés de envolver fiadores ou avalistas, a garantia ocorre por meio de cessão de algum imóvel pertencente ao solicitante.

O motivo para o surgimento dessa tendência é atender à necessidade principalmente de um público que, inseguro com a alta crescente dos preços, o aumento do desemprego e a imprevisibilidade da pandemia do Covid-19, fica cada vez menos tentado a assumir compromissos de risco.

Sendo assim, as taxas dos empréstimos passam a ser olhadas com mais atenção, especialmente em um contexto em que o brasileiro está mais consciente da necessidade de organizar suas finanças.

home-equity

Home equity: por que se atentar à modalidade

Um dos atrativos do home equity é o fato de possuir uma taxa de juros menor do que as modalidades de crédito pessoal, podendo pagar em um prazo maior.

Ainda que a adesão a esse tipo de contrato não seja tão expressiva no Brasil, a expectativa é de que haja um grande crescimento nos próximos anos.

De acordo com informações publicadas no portal da revista Exame, em 2020 haveria R$ 11 bi em contratos de home equity. Entretanto, a estimativa é de que esse número chegue a R$ 500 bi no futuro.

Isso devido à manutenção da taxa Selic a níveis baixos, o que faz com que os contratos a longo prazo se tornem mais interessantes para os contratantes.

A Caixa Econômica Federal, detentora de um terço do valor dos empréstimos nessa modalidade, já anunciou a intenção de aumentar sua carteira em até dez vezes o que já possui. A informação foi veiculada no portal do Diário do Comércio.

home-equity

O que está em jogo no home equity

Para as instituições financeiras, os riscos nessa negociação são menores do que nas outras modalidades de crédito. E isso pelo mesmo motivo que faz os devedores terem cautela com esse tipo de empréstimo.

Afinal, o que é ofertado como garantia é nada mais, nada menos que o próprio imóvel do contratante. Em outras palavras, ele contrai um empréstimo e, para assegurar de que realizará o pagamento no prazo, entrega a propriedade.

Isso é o que se chama de alienação fiduciária, processo que ocorre quando o banco ou organização financeira passa a ser detentora da casa ou empreendimento até que a dívida em questão seja saldada.

No caso do home equity, a opção por esse tipo de empréstimo costuma acontecer quando a pessoa pretende pagar alguma dívida com juros mais altos, ou investir em outras compras – como imóveis, carros, entre outros.

home-equity

Oportunidades em meio à crise

Não é novidade que a economia brasileira, que já estava em uma situação instável nos últimos anos, tenha agravado várias questões em 2020.

No ano passado, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) registrou o maior número de desempregados em sua série histórica, correspondente a 13,5% da população.

Isso gerou diversas movimentações no mercado como um todo. Afinal, por um lado, a necessidade de fechar os estabelecimentos não essenciais teve grandes impactos especialmente entre as empresas e profissionais atuantes nesses segmentos.

Por outro, também havia quem aproveitasse esse cenário para investir em franquias ou comprar novos imóveis.

Foi, portanto, um período de desafios para inúmeras pessoas – e que, em muitos contextos, exigiu preparo financeiro e capacidade de adaptação.

Observar justamente essas mudanças é o que pode ser oportuno ao mercado financeiro para encontrar potenciais clientes e ofertar modalidades de crédito pertinentes ao perfil de cada um deles.

New Call-to-action

Sensatez perante os riscos

Apesar dessas oportunidades, é necessário saber diferenciar o indivíduo que solicita crédito visando crescer empreendimentos, investimentos ou quitar dívidas do que o faz por estar em uma situação de vulnerabilidade.

Ou seja, a análise de crédito não deve ser, em hipótese alguma, deixada de lado. Ainda que o home equity esteja em expansão, deve-se conter a euforia e levar em consideração o quanto o solicitante de fato tem capacidade de pagar.

É necessário, portanto, estabelecer limites para que o cliente tenha uma relação de confiança com a instituição. Consequentemente, isso o fideliza e o transforma em um embaixador da marca no longo prazo.

Ainda que isso pareça vago no início do relacionamento, com o tempo se torna uma porta para que ele se interesse por cada vez mais produtos e serviços, especialmente quando se trata de pessoa jurídica.

home-equity

Afinal, o cliente/empreendedor espera sucesso quando investe em um bem – seja ele a compra de um imóvel para abertura de lojas, expansão de unidades ou mesmo maquinário.

Para isso, a relação estabelecida com o credor durante esse processo de negociação e quitação faz parte da experiência que determinará se ele retornará ou não.

Por mais que técnicas de persuasão e estratégias agressivas ajudem a bater metas imediatas, clientes frustrados com dívidas intermináveis comprometem a reputação da empresa e abrem os mares para a concorrência.

Onde encontrar empreendedores em potencial

Nem sempre é fácil saber quem está pensando em abrir novas empresas, sem que a pessoa apareça na nossa frente expressando diretamente essa vontade. 

Mas há muitos caminhos para conseguir encontrar esse potencial cliente para adesão de um empréstimo de home equity. Por exemplo:

  • descobrir, em pesquisas na internet, segmentos de mercado em ascensão;
  • mapear de estabelecimentos a partir da atividade econômica de interesse;
  • localizar empresas com alta operacionalidade ou grande possibilidade de expansão.

Isso é bem mais simples do que parece. Afinal, com riqueza de dados à disposição, qualquer prospecção deixa de ser um mistério.

Para o primeiro passo, basta passar um tempo em navegadores de busca. O restante, entretanto, necessitará de alguns recursos específicos para isso.

Mas, novamente, nada que não esteja ao alcance das suas mãos. Quer saber mais sobre isso? Neste nosso conteúdo exclusivo, explicamos como dados inteligentes vão te ajudar a encontrar o seu cliente ideal:

New Call-to-action

Veja também

Varejo/Serviços
07.10.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Canibalizar lojas? Conheça 5 cenários e ações a adotar

Saber a distância aceitável entre duas lojas de uma mesma rede não é fácil. Saiba como a inteligência geográfica de mercado pode te auxiliar a tomar as melhores decisões quanto a isso.

Leia mais
Notícia
30.09.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Confira os principais insights do Geotrends 2021

Leia mais
Ensino
16.09.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Como fazer macro captação de alunos com mapas digitais?

Saiba como a inteligência geográfica te auxilia em suas estratégias para aumento de matrículas

Leia mais