SoluçõesCasesAcademiaBlogTalentosInstitucional
Varejo/Serviços

3 varejistas que revolucionaram pontos de venda com novas tecnologias

Já mostramos neste blog como investir em tecnologia no varejo é poupar dinheiro, com exemplos para otimizar custos na sua operação. Agora gostaria de trazer alguns casos de empresas que têm sido referência em aprimorar a gestão do ponto de venda com uso de novas ferramentas. Espero que sirva de inspiração!

1)    Macy’s

Mesmo quando não há um vendedor devidamente posicionado à espera do cliente, é possível interagir com seu público-alvo para influenciar a sua decisão de compra.

app-pontos-de-venda

Você já deve ter percebido como, de uns tempos para cá, as pessoas andam por aí com os celulares em punho. Enquanto conversam, almoçam, atravessam a rua – e, claro, enquanto compram.

Algumas grandes redes varejistas foram ágeis para aproveitar essa tendência. Um exemplo bacana é o da Macy’s, centenária rede de loja de departamentos norte-americana.

Em 2014, a empresa colocou no ar seu próprio aplicativo móvel. Nele os clientes podem encontrar a loja mais próxima ou mesmo efetuar a compra online.

Mas a grande novidade foi o desenvolvimento da ferramenta para convencer o público-alvo durante a experiência de compra no ponto de venda.

A função mais interessante é o leitor ótico. O cliente fotografa a etiqueta do produto com a câmera do celular e na tela aparece não apenas o preço, mas o material, tamanho e outras características do produto.

New Call-to-action

2)    Lowe’s

Outra possibilidade está sendo experimentada pelos clientes da Lowe’s, também nos Estados Unidos. A rede tem lojas gigantescas de material de construção espalhadas pelo país, e por isso planejou um app com o mapa de cada uma delas.

A plataforma foi desenhada para que o público-alvo da loja encontre sem dificuldades as direções para o corredor específico que procura. Além disso, o cliente pode conferir na tela do celular se o produto que não está encontrando nas prateleiras está disponível no estoque.

3)    Arezzo

A rede de calçados tem apostado na combinação de câmeras digitais com softwares de processamento das imagens captadas para mapear informações valiosas como:

  • Fluxo de clientes nas lojas
  • Para onde se dirige o olhar do consumidor
  • Qual é o perfil de quem está na loja: homem ou mulher, jovem ou idoso

Isso porque a tecnologia das câmeras HD e os softwares de leitura facial já tornaram realidade o que antes era ficção científica.

tecnologia-inteligencia-mercado

Tudo isso pode ser transformado em base de dados a ser aproveitada pelo gestor que quer conhecer cada vez melhor o próprio negócio.

Uma das fornecedoras desse serviço é a brasileira Seed, fundada em 2014, que tem clientes outras empresas como, Rosa Chá e shopping SP Market.

Como funciona essa tecnologia

Uma câmera, ou um sistema delas, capta o fluxo de pessoas dentro de uma loja e identifica quais são os corredores mais percorridos, quais locais mais atraem o olhar do consumidor e o perfil de cliente de cada loja.

Aí o gestor pode posicionar vendedores mais adequadamente, ou então garantir que os produtos mais procurados não faltem na prateleira. Outra vantagem é que, sabendo quais as partes mais visitadas de uma loja, fica mais fácil posicionar uma peça publicitária que se comunique com o maior número de visitantes possíveis.

New Call-to-action

Veja também

Varejo/Serviços
21.10.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Qual a vantagem de usar dados digitais para expansão?

Descubra como ferramentas de mapeamento otimizam esse processo e aumento os resultados da sua empresa

Leia mais
Varejo/Serviços
07.10.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Canibalizar lojas? Conheça 5 cenários e ações a adotar

Saber a distância aceitável entre duas lojas de uma mesma rede não é fácil. Saiba como a inteligência geográfica de mercado pode te auxiliar a tomar as melhores decisões quanto a isso.

Leia mais
Notícia
30.09.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Confira os principais insights do Geotrends 2021

Leia mais