SoluçõesCasesAcademiaBlogTalentosInstitucional
EnsinoFinanceiroIndústria de Bens de ConsumoSaúde/SeguradoraVarejo/Serviços

3 razões que explicam porque a Amazon está abrindo uma loja física

O gigante do e-commerce que dominou o mercado de varejo online, segundo fontes internas citadas pelo The Wall Street Journal  em breve abrirá sua primeira loja física em Nova Iorque e em diversas localizações na Califórnia de acordo com o Geekwire.

Embora a nova loja da Amazon tenha uma localização nobre, em frente ao Empire State Building na 34ª rua, a decisão de abrir uma loja física parece ser uma jogada enigmática para uma empresa que ajudou a popularizar as compras online oferecendo produtos com um preço inferior ao que varejistas que tem arcar com os custos das lojas físicas poderiam oferecer.

Contudo, apesar das desvantagens óbvias de ter custos operacionais mais altos quando se tem uma loja física, na verdade existem muitas vantagens em utilizar uma abordagem mais tradicional do varejo.

Confira abaixo três possíveis razões porque a Amazon vai experimentar o tradicional mundo do varejo:

Varejo tradicional ainda supera o e-commerce

De acordo com um recente relatório do Departamento de Comércio americano o crescimento das vendas do e-commerce nos E.U.A. durante o segundo trimestre de 2014 cresceu 15,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse número supera a taxa de crescimento de 4,4% que corresponde à taxa de crescimento do varejo como um todo no mesmo período. Embora estes números pareçam mostrar que a Amazon deveria continuar com o e-commerce o varejo é um pouco mais complicado do que se pode perceber no primeiro olhar.

De uma estimativa de vendas de US$ 1.171 bilhões no segundo trimestre de 2014, apenas US$ 75 bilhões ou 6,4% do total destas vendas vieram do e-commerce. Em outras palavras, apesar do rápido crescimento do mercado de e-commerce, a maior parte das vendas do varejo é feita em lojas físicas.

Também existe evidência que o crescimento do e-commerce está diminuindo. No segundo trimestre de 2013, a taxa de crescimento do e-commerce era em torno de 18%. Por outro lado, o crescimento do varejo como um todo no mesmo período se manteve próximo ao crescimento registrado neste ano, cerca de 4%.

kindle-pexels-min.jpg

O Comércio Omnichannel é o futuro do varejo

Outro estudo recente realizado por uma empresa global de consultoria em  gestão, a A.T. Kearney, sugere que a melhor estratégia para o varejo na verdade pode ser uma combinação entre lojas físicas e presença online ou o que eles chamam de “omnichannel commerce”. Segundo o estudo da A. T. Kearney lojas físicas tem um papel fundamental na conversão de vendas, mesmo que eventualmente essa venda seja realizada online ao invés de em uma loja física. Os pesquisadores da A.T. Kearney notaram que dois terços dos consumidores que compram online visitam uma loja física antes ou depois da compra.

Então mesmo que as compras sejam realizadas online, lojas físicas ainda tem um importante papel na criação de valor para a empresa aumentando o conhecimento sobre os produtos e as marcas. “Não é lojas físicas ou e-commerce; é loja física e e-commerce” disseram os pesquisadores da A.T. Kearney. “Ter múltiplos canais é bom para os negócios”.

New Call-to-action

Novos produtos precisam demonstração

A Amazon que neste ano entrou no Mercado de smartphones com o seu celular Fire pode também estar seguindo os passos da Apple, uma empresa que encontrou um sucesso sem precedentes com as vendas de aparelhos móveis combinando a presença no varejo online com lojas físicas.

De acordo com a empresa de pesquisa de mercado eMarketer, a Apple lidera o varejo de lojas físicas com a maior média de vendas por metro quadrado que qualquer outra varejista nos EUA. Esta média não inclui nenhuma das vendas online que podem ter sido iniciadas em lojas físicas com demonstração de produtos e contato com os representantes de vendas. A Amazon que também lançou recentemente diversas versões do tablete Kindle Fire  pode estar tentando copiar o sucesso da Apple nesta área.

Apesar do plano final da Amazon possa ser criar uma loja parecida com a Apple, parece que a loja em Nova Iorque vai ser inicialmente utilizada principalmente como um lugar para os consumidores retirarem pedidos feitos online e como um mini canal de distribuição para os entregadores de acordo com as fontes do Wall Street Journal. Enquanto ainda não é possível dizer se uma loja física da Amazon vai ter sucesso suficiente para ser implantada em outros lugares, não há dúvidas que mesmo uma pioneira no e-commerce como a Amazon pode obter benefícios com uma abordagem mais tradicional do varejo.

Tradução livre Geofusion

Autor: NATHANAEL ARNOLD

Fonte: Tech Clean Cheat

Leia o texto original aqui: http://wallstcheatsheet.com/technology/3-reasons-why-amazon-is-opening-a-physical-retail-store.html/2/

New Call-to-action

Veja também

Indústria de Bens de Consumo
22.04.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Lojas de produtos alimentares: como prospectar PDVs para indústria

Para quem trabalha no setor, encontrar os estabelecimentos ideais para cada linha ofertada é um desafio. Descubra como inteligência de dados georreferenciados te ajudam a solucionar esse problema

Leia mais
Ensino
15.04.2021 | Por Victor Melo

Como captar alunos EAD em meio aos desafios da pandemia

Saiba como a inteligência geográfica te ajuda a encontrar as melhores estratégias para novas demandas do ensino superior

Leia mais
Varejo/Serviços
08.04.2021 | Por Victor Melo | 10 min

Matcon: por que investir em inteligência na pandemia

Leia mais